segunda-feira, 27 de junho de 2005

Top lagrimas

Filme
- O paciente inglês
Example
(esta cena é das que eu nunca vejo porque nesta altura já estou a chorar baba e ranho)

Livro
- Brokeback Mountain
Example
(este quando for para o cinema também já sei que tenho de levar Kleenexes...)

4 comentários:

João M disse...

Pensei que o "brokeback mountain" fosse um conto, porque o vi incluído no penguin gay stories, ou lá como se chama.

Esse filme foi recusado em Cannes, por isso não sei se será *assim* tão bom. É claro que o lirismo da imagem de ter cowboys gay em cima de um cavalo, a fazerem olhinhos um ao outro, num monte tipo julie andrews no "música no coração", convence-me.

Tiago disse...

pois eu abro a torneira de cada vez que a Meryl streep está indecisa em abrir a porta da carrinha, no filme As Pontes de Madison County. E por mais que saiba que ela não a vai abrir, acredito sempre que desta é que é. até me falta o ar.

Daniel J. Skråmestø disse...

O "brokeback mountain" está algures entre o conto e a novela. Há uma edição em livrinho separado, para além dessa colectânea da penguin (foi originalmente escrito para uma revista).
Provavelmente o filme terá muitas imagens dos cóbóis a montarem a cavalo, mas o livro tem muitas imagens dos cóbóis a montarem-se um ao outro.
Também tenho reticências quanto à adaptação ao cinema porque a história é muito bruta e crua e de certeza que se vão por com eufemismos visuais. Até o Jake Gyldenhall é um eufemismo (na história, os cóbóis são feios e de barba rija) mas com esse eu não me importo, eheheh!

As Pontes de Madison County nunca vi. Um dia que precise abrir a torneira hei-de alugá-lo.

Drocas disse...

Sinto o mesmo no Paciente Inglês, por mais vezes que o veja, choro sempre... Vi há dias A Home at the End of the World e chorei baba e ranho tb no final...