quarta-feira, 3 de outubro de 2007

correio dos leitores 2

Cara Sónia

Obrigado pela resposta simpatica ao meu mail impulsivo.
Conhecendo bem os guias e as revistas TimeOut sei o desfazamento entre a mensagem que a campanha passa e os vossos conteúdos (aliás, parabéns pelo primeiro número que estava bastante bom).
Não se trata exactamente de não aceitar uma piada, é mais a questão de que as piadas devem ter o timing e a audiência certa. Há uma responsabilidade cívica quando se colocam imagens na rua e se comunica com a população.
Eu nem sequer sou um activista de direitos LGBT. O que me entristeceu na campanha foi ver um produto e uma marca que gosto e respeito, associada a piadas "fáceis" que funcionam pelo lado negativo da opressão, escárnio e preconceito, promovendo e prepetuando intolerância.
Além disso, nem o payoff é correcto: vocês têm criticas de DVD e Livros e programação de televisão, actividades que eu faço em casa. Aliás, a vossa revista leio-a e guardo-a na casa de banho com a melhor das intenções :-) Isso é verdadeiramente deixar a TimeOut entrar no cerne do lar.

Abraço para vocês e puxão de orelhas à vossa agencia de publicidade e a quem aprovou a campanha.
Atentamente,
Daniel

2 comentários:

L. Antão disse...

Quando se fala claro e o bom senso prevalece consegue-se um «diálogo» honesto como este.

josé manuel fernandes disse...

a saga não acaba aqui. basta ler a crónica dedicada aos gay e a decoração publicada no ultimo número (pág 73) para se ver que a redacção da time out acha os gay uma coisa "engraçada", cheia de cadeiras philippe stark na sala, molduras vintage, sofás brancos e estereótipos pendurados na parede e na vida em geral. aguardemos as cenas dos próximos capítulos...