segunda-feira, 24 de julho de 2006

O millet

Hoje fiz um desvio no caminho para o supermercado e entrei no Celeiro para comprar pão. Já eram 6 horas e nas padarias já só havia carcaças (o pão com o nome mais correcto do mundo porque de facto sabe a pão morto mesmo quando acabadinho de sair do forno). Aproveitei para me aventurar numas coisas novas e comprei manteiga de sésamo (ainda não sei se gosto) e comprei millet (O cereal. Eu só conhecia o pintor).

Segundo a internet "Millet is one of the oldest foods known to humans and possibly the first cereal grain to be used for domestic purposes". Curiosamente, eu vivi os meus 32 anos sem saber isto.

Segui as instruções da embalagem, lavei os grãozinhos, dei uma leve fritura e cozi durante 20 minutos. Sabia um pouco a papas de milho e embora a água já tivesse sido toda chupada, achei que aquilo podia ter cozido mais tempo. Para salvar a refeição que aquilo ia acompanhar (uns lombinhos de porco com molho de maçã e rábano) resolvi juntar queijo roquefort às papas de millet. Foi bem pensado e funcionou mas de certeza que tripliquei o nível de colesterol da refeição.

Mais uma vez, segundo a internet, "The Hunzas, a people who live in a remote area of the Himalayan foothills and are known for their excellent health and longevity also enjoy millet as a staple in their diet." Acredito que sim, porque aquilo em estado puro tinha um sabor atrozmente saudável. Por outro lado, suponho que os Hunzas não afogam o seu millet em roquefort...

"research on millet and its food value is in its infancy and its potential vastly untapped." Digo o mesmo porque ainda tenho meio quilo de produto para usar em experiencias... até lá, decididamente gosto mais de roquefort do que de millet.

3 comentários:

Nuno disse...

Caro amigo, olá e bem-vindo ao mundo secreto e maravilhoso dos cereais!
Experimenta o boulgour, talvez te agrade mais, pelo menos falo por mim. Tem uma consistência mais leve e um sabor muito agradável. Junta uma sementes torradas de sésamo ou girassol e ainda melhor, aliás isto em qualquer cereal. Também neste mundo, para além do couscous, existe a quinoa, trigo sarraceno, e outros que não me lembro o nome.
Enfim, nada como experimentar! Boa continuação gastronómica! Abraços do "mestre" mouro :-)

Daniel J. Skråmestø disse...

Vou experimentar juntar as sementes de sésamo, que já há cá em casa, obrigado pela dica ;-)

intruso disse...

...gosto de millet
...não gosto de roquefort
...gosto muito de Millet (o pintor)
...não gosto de sésamo
...gosto deste blog
(...não gosto de comentar)

:)