segunda-feira, 11 de setembro de 2006

Policia

A semana passada tive de voltar a uma esquadra da PSP para fazer mais uma queixa contra os meus vizinhos psico-sociopatas.

Como fui para lá directamente depois de ter sido agredido, tinha os joelhos esfolados e a sangrar. Enquanto dava os meus dados e depoimento, pedi ao polícia que dactilografava com um dedo para me arranjar um algodão e alcool para limpar as feridas. Ele pediu imensa desculpa mas a esquadra não tinha qualquer material de primeiros socorros. Nem um simples algodãzito, nem um penso, nem uma garrafita de água oxigenada.
Perguntei-lhe o que é faziam quando na esquadra se cortavam com o papel. Ele riu-se e disse que chupavam no dedo.

Mas não é mau de todo passar uma hora numa esquadra de polícia. Não sei porquê, nas esquadras nunca encontrei aqueles polícias gordos e mal dispostos que se vêm na rua. Cada vez que vou a uma (graças aos vizinhos psico-sociopatas) está sempre cheia de gajos giros que vestem bem o uniforme e são simpáticos e atenciosos. Do mal o menos.

6 comentários:

Nuno Pires disse...

Meu deus... São mesmo malucos. Jé me tinhas falado deles mas não pensava que eram fisicamente violentos. Et então a queixa vai ter algum efeito?

Luis disse...

Eu cá penso que tu queres é arranjar pretextos para voltar à esquadra. Ainda por cima com aquela do polícia dizer que chupam no dedo, quando sangram. Para a próxima vê lá, mas é, qual a origem da sangria, não vá o polícia ir nas tuas cantigas... :-) Isto era só brincadeira e pura provocação, mas a verdade é que estou contigo contra os ofensores da nossa dignidade (penso que será o caso) e creio bem que o afastamento da justiça só apela à... injustiça!

Danyel disse...

a não esquecer... numa esquadra da polícia não se fazem primeiros socorros lol

Daniel J. Skråmestø disse...

O único efeito da queixa é enriquecer um pouco mais o cadastro dos referidos vizinhos.

Acho que da próxima vez que for à esquadra simulo afogamento...

dinis disse...

credo, mas o que se passou?

Daniel J. Skråmestø disse...

Essa saga do que se passou dava para um romance em três volumes. Uma ode à estupidez humana.