quarta-feira, 11 de junho de 2008

Pop Power

É com uma pontinha de vergonha que admito que o concerto de ontem à noite da Kylie Minogue é bem capaz de ter sido o melhor concerto que vi na vida. Oscilando entre o futurismo mais radical e a parolice mais relampejante, foram umas boas horas de pop no seu melhor: potente, bem disposta e totalmente desprovida de mensagem e sentido!
É claro que se podem establecer comparações com a Madonna ou com o festival da Eurovisão... mas... bem me estou nas tintas para isso, tal como a Kylie também está. Se lhe apetece aparecer a flutuar numa caveira prateada vestida como uma guarda do exercito vermelho (versão sexy) isso não precisa ter nenhuma mensagem subliminar de paz no mundo ou religião pós-moderna. E é tão honesto como quando se põe a cantar baladas (que podiam resultar igualmente bem cantadas em romeno ou albanês) vestida como uma verdadeira Barbie dos anos 80.
O publico, constituido na sua maioria por homens gay e meninas de 13 anos adorou-a como é devido e ela deu-lhes tudo o que queriam, incluindo marinheiros à Pierre & Gilles e confettis dourados.
Enfim, Foi FENOMENAL.
No fim doía-me a cara de tanto sorrir.
Kylie, tu rulas big time!!



PS: em julho ela está em digressão em inglaterra.

3 comentários:

dolphin.s disse...

:DDDD

endrogado!! :DDDD

B disse...

Não resisto ao comentário, embora pense que não o devia fazer. Mas o concerto da desta menina é uma cópia (imperfeita, claro está, como tudo o que é copiado e não é original),um apanhado mal amanhado de vários momentos das diferentes digressões da Madonna. A mensagem que suporta a produção não existe, o que lhe retira todo o sentido. Fazer por fazer,fazer porque é bonito. Não vejo aqui outro sentido...

Daniel J. Skråmestø disse...

Só estive num concerto da Madonna e só estive num concerto da Kylie. O da Madonna deixou-me indiferente.
E tu? em qual deles te divertiste mais?