quarta-feira, 4 de junho de 2008

Para isto servem as estátuas

Oslo está cheia de estátuas. Há muitas de animais (as minhas favoritas são as da galinha e a do pinguim) e depois há toda uma enorme variedade de noruegueses distintos. Hoje reparei nesta, primeiro graças ao porte do retratado e depois pelas datas.



Graças à wikipedia, fiquei a saber que o Rudolf Nilsen afinal não é um ginasta ou campeão de luta livre (a estátua está mesmo ao lado de um campo de futebol):

Rudolf William Nilsen (1901-1929) was a Norwegian poet and journalist. He was born in Oslo. A child of the working class, Nilsen became part of the left-wing revolutionary movement.
In 1921, he stood trial for smuggling illegal revolutionary literature into Norway.
Rudolf Nilsen's first published work was the collection of poetry "På stengrunn" (1925), which was followed by "På gjensyn" (1926). Many of his poems were political, while others were romantic or about life in Oslo.
Nilsen died of a lung illness in Paris on 23 March, 1929. "Hverdagen" was published posthumously the same year. His collected poems were published in 1935. New collections of his works were published in the 1970s.

A grande vantagem de um escritor que morre novo é que se lembram dele em formato visual decente.

3 comentários:

Luis disse...

Eu gosto da estátua, embora não conhecesse sequer a existência do retratado. Coisa curiosa, porém, é que ao ampliar a foto quer parecer que os pombos gostam muito de Rudolf. Ou será que a obra é de outras criaturas?!... (Desculpa a graça, mas não resisti à oportunidade.)
Espero/esperamos que esteja tudo bem por aí, contigo e o Børge. Fica mais um abraço e a presença apesar da distância. Felicidades!

Daniel J. Skråmestø disse...

não são os pombos, é o bronze oxidado! Seu malandro! abraço!

Luis disse...

:-) Obrigado, para ti também!